quarta-feira, 7 de maio de 2008

Partes de mim

A gente se doa, a gente abre mão, finge que esquece. A gente segue descontando nosso estresse e nosso ódio na gente mesmo. A gente finge que está sempre bem, que tem de tudo, que sabe de tudo, lidar com o mundo... Mas a gente não é ator. A gente sofre e chora e fica mal, mas a gente esquece e escreve sobre estar bem. A gente não é escritor. A gente coloca música e a gente dança, canta junto, tenta sobrepor a dor, sorrir. A gente pinta quadros incompletos, anda em círculos. A gente faz mal a quem a gente ama... A gente nem sabe dançar. Maldita solidão das partes de mim, que a gente não sabe evitar.

4 comentários:

Smiller - disse...

Isso me lembrou literatura de cordel e não, não foi uma ofensa.

:)

outra carol disse...

Mas a gente pode ser em pedaços.. porque, não importam as metáforas, a vida nem é uma peça, um livro, um quadro ou uma canção.

Lucasz disse...

véi, já te disse que adoro o que tu escreve, tiro o chapéu pra ti

augustosotero disse...

muito legal cara.
Bem escrito e tem uma musicalidade interessante